sexta-feira, 17 de junho de 2011

Dicas de Saúde: Crise Asmática

A crise asmática pode ser iniciada de uma hora para a outra, deixando preocupado até o paciente que está mais habituado com os sintomas. A gravidade da doença é influenciada por diversos fatores, mesmo que, geralmente, essas crises sejam fracas, controladas com uso de baixas doses de broncodilatadores. No entanto, nos casos mais graves, pode ser necessária internação em CTI ou uso de respirador artificial

A inflamação deixa as vias aéreas sensíveis a alguns estímulos, como produtos químicos, alérgenos, ar frio, variações bruscas de temperatura, exercícios ou fumaça de cigarro. O paciente que possui a doença, e as pessoas que convivem com ela, devem estar capacitados para lidar com a asma, que pode ser agravada pela falta de informação sobre o procedimento durante as crises.



A crise asmática, se interrompida precocemente, possui poucas chances de evoluir de forma grave. Por isso a pessoa asmática deve estar apta a reconhecer os sinais que indicam uma crise em sua fase inicial e usar os medicamentos recomendados por seu médico. 

Veja alguns sintomas que antecedem a crise:

- Tosse principalmente na metade da noite e início da manhã;
- Pulso acelerado;
- Desconforto ao respirar e tosse seca;
- Sibilos (chiados), falta de ar, mãos arroxeadas e impossibilidade de falar frases longas são sintomas mais tardios de uma crise;
- Existem alguns aparelhos portáteis que podem ser usados diariamente para a monitorização da função respiratória de pessoas com asma moderada ou grave. Quando o peak flow do paciente cai mais que 30% do que normal, representa uma crise, mesmo na ausência de sintomas.

Saiba como proceder:

- Mantenha a vítima calma;
- Procure ventilar o ambiente, com portas e janelas abertas;
- Mantenha a vigilância da função respiratória até a frequência respiratória normalizar;
- Não dê nada para o paciente ingerir, mantendo-o semi-deitado;
- Afrouxar as vestes;
- Não dê remédios sem indicação médica.

Nenhum comentário:

Postar um comentário